sexta-feira, setembro 01, 2006

Uma única lágrima
Triste e solitária
Despencou face abaixo
Embalada por um Blues
Contornou a maçã do rosto
E caiu sobre o papel
No papel um poema a ser terminado
Mais um gole na bebida
Em um anseio de inspiração
Penso, tento
É forte o sentimento
Mas não consigo ir adiante
Apago a luz e deixo o Blues ecoar na mente
Fraquejo, não contenho o pranto

Nenhum comentário: